sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

nude

Enquanto isso, no Whatsapp:
- Amiga, tá aí?
- Oi, to.
- Amiga, você viu o tamanho da giromba do Léo Stronda?
- Claro que vi, parecia meu braço.
- Siiim. Fiquei até assustada quando recebi a foto.
- Que foto?
- Ué, essa que vazou do Léo Stronda.
- Vazou foto do Léo Stronda?
- Haha a gente não tá falando do peru dele?
- Sim, mas não vi foto nenhuma.
- Amiga, então como você sabe sobre o tamanho?
- Depois eu te conto, mas antes vou precisar de um favor.
- Qual favor?
- Preciso que me busque no hospital.
- Nossa, amiga! O que aconteceu?
- "Conheci" o Léo Stronda. ...
- Capaz! Já estou indo pro hospital aí você me conta.
- Já que está vindo, pode trazer algumas coisas pra mim?
- Claro, amiga. Do que você precisa?
- De remédio pra dor, uma cadeira de rodas e um c* novo!

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Halloween – Dia das Bruxas

Halloween – Dia das Bruxas

O significado do Dia Das Bruxas muda com o tempo, porque antigamente quando se falava em bruxa, você imaginava uma feiticeira malvada que cozinhava crianças e a referência que eu tenho de bruxa de hoje em dia é a Hermione do Harry Potter. Quer dizer, antigamente Halloween dava medo, mas hoje em dia dá tesão. Os tempos mudaram.

Halloween pro Michel Temer é feriado religioso.

Já fui em festa de Halloween maquiado e vestido de membro da banda Kiss, de cartola pra ser o Slash... mas como no Halloween você tem que se vestir de algo que cause terror, da próxima vez vou de ex namorada. Só preciso comprar penas e um bico.
Se você parar pra pensar, “doçuras ou travessuras” parece algo fofo, mas é uma ameaça. Em outras palavras, a criança está dizendo “me dê doces, se não eu risco seu carro!” – Se for analisar, o Halloween não passa de um curso técnico pra ser flanelinha.

Seria bom se também desse pra pagar os flanelinhas com bala... de revolver.

Eu lembro que quando eu tinha uns 10 anos, saí com uns amigos na noite de Halloween pra pedir doces igual fazem nos Estados Unidos. Aí cada um pedia uma vez “doçuras ou travessuras”, mas eu me recusei a falar isso, porque eu tinha vergonha. Falaram “vai lá agora e volta com doce pra gente, se não você não vai comer nenhum desses que pegamos até agora!” - Aí na minha vez, bati na porta da casa e saiu uma mulher bem velha, parecia até que Halloween era o aniversário dela. Falei “Hoje é Halloween, a senhora não tem balas pra me dar?” – “Ah eu não tenho.” – “e chocolates?” – “ah, também não tenho.” - e eu não queria voltar pro grupo sem nada, então falei: “ah, pode ser qualquer coisa doce...” aí eu juro que ela entrou na casa e voltou com uma sacola cheia de açúcar. Pensei: “O que vou fazer com isso?”
Fiquei com medo de me ferrar, mas no fim acabou sendo útil, porque eu era gordo e dei a ideia de “molhar”, ou melhor, “açucarar” todos bombons no açúcar antes de comer. A gente comeu sonho de valsa a milanesa. Eu era gourmet antes de ser modinha.



Fiquei sozinho em casa hoje , com um baita medo por ser Halloween, daí um amigo me falou: “cara, aproveita que tá sozinho e faz umas loucuras, pô!” Segui o conselho e sabe qual foi a coisa mais louca que fiz? Coloquei ketchup no miojo.


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Na porta do banco

Hoje na fila do banco tinha umas 30 pessoas. Eu nem sabia que tinha tanta gente assim aqui em Ibaiti.
O que mais me chamou atenção, foi quando vi uma mulher ser barrada na porta giratória porque estava com uma caixa de remédios.
Qual o perigo? Um remédio pode ser uma arma?
Eu nunca ouvi alguém falando: - Você viu quem roubou o banco?
- Quem?
- Um farmacêutico. Já chegou bem louco porque ele tinha cheirado...Naridrim. Ele usou spray de própolis nos olhos do segurança, ameaçou todo mundo com uma pastilha de laranja, que é uma bomba... de vitamina C, pegou todo o dinheiro do cofre, tomou Doril e sumiu.
Espero daqui algum tempo não ser preso por porte ilegal de Dorflex.

Mas enfim, a greve dos bancos acabou. Agora você já pode sentar. Ou dormir no da praça pensando nelaaaa aaa. 

domingo, 5 de junho de 2016

zika

Outro dia, quando fui sair de casa, tinham vários soldados na frente do meu prédio. Pensei preocupado: "será que a ditadura militar começou e vão começar expulsando os comediantes do país?" daí me acalmei e até fiquei feliz quando me veio a cabeça que finalmente eu poderia morar fora do país.

Fui ver o que queriam, e um deles me disse: "estamos aqui para falar sobre essa doença que está contaminando o país todo." e eu falei: "mas eu não entendo nada de sertanejo."

Aí eles me explicaram que, na verdade, era sobre o Zika Vírus. Falaram que, apesar de todo o problema que ele pode trazer, existem algumas maneiras de impedir isso de acontecer. Pensei: "pelo jeito não são maneiras fáceis, porque tiveram que chamar o exército!"

Mas na verdade deram apenas algumas dicas básicas:
Falaram pra não deixar água parada, então eu joguei fora o filtro lá de casa e comprei um liquidificador. Não tem mais água parada, nem ninguém dormindo.

Falaram pra colocar areia no vaso, aí eu coloquei areia no vaso e agora estou cagando igual um gato.

Mas acho que só fiquei realmente seguro contra o vírus quando finalmente baixei o Avast.



Então fica aqui a minha dica para vocês que estão lendo: se não quiser ser infectado pelo mosquito, faça sua parte: não deixe água parada, coloque areia no vaso ou apenas vá morar em outro país.


quinta-feira, 2 de junho de 2016

lenha

Nas reuniões da escola minhas professoras diziam que eu não fazia bagunça, mas que era do tipo de gente que "adora botar lenha na fogueira."
Quando alguém tomava um corte, era o primeiro a falar "nóóó, vai deixar?"
Inclusive, já fui processado e "detido" (de dentro da escola tive que ir pra delegacia, sério) por causa disso.
Enfim, só resolvi escrever isso aqui pra contar pra vocês que estou indo chamar um táxi e um Uber pro mesmo endereço. Boa noite.